Planetário Móvel nas Escolas .

 

 

 

 

 "É o que se ouve em vários momentos das sessões de Planetário:

 Quando começa o anoitecer e surgem inúmeras estrelas; quando são projetadas as constelações; quando comparamos os tamanhos da Terra e do Sol; ou ainda quando comparamos o Sol com a estrela  Antares.

 Após a sessões, as perguntas que são feitas pelos estudantes e o brilho nos olhos das crianças dão a certeza de que o Planetário cumpriu seu principal papel: ensinar, divulgar e maravilhar. Em “O mundo assombrado pelos demônios: a ciência vista como uma vela no escuro“, ao relatar sua experiência de divulgação da ciência para estudantes das séries iniciais da educação bàsica, Carl Sagan afirma: As crianças inteligentes e curiosas são um recurso nacional e mundial. Precisam receber cuidados, ser tratadas com carinho e estimuladas. Mas o mero estímulo não é suficiente. Temos de lhes dar também as ferramentas essenciais com que pensar (Sagan, 1996: 313).

Eis o nosso desafio:  dar aos estudantes �as ferramentas essenciais com que pensar�, considerando principalmente o contexto hist�rico e social em que vivemos. Apesar das r�pidas mudan�as que caracterizam a sociedade atual, nosso modelo de educa��o permanece arraigado a conceitos como verdade absoluta, certeza, transmiss�o do conhecimento e outros. Em �Aprendizagem Significativa Cr�tica�, Moreira (2005: 5) resume:

Nossa educa��o fundamental acaba com a capacidade natural que as crianças t�m de perguntar e as transformam em memorizadoras de respostas corretas para coisas que elas não perguntam.

espaços de educa��o não formal como Planetários, observat�rios, museus e centros de ci�ncias s�o aliados em potencial para a constru��o e adequa��o dessas ferramentas essenciais que permitir�o ao aluno aprender a aprender e ao cidad�o ampliar seu horizonte de conhecimento. A visita��o a esses espaços precisa, contudo, ser planejada e realizada de forma a favorecer a aprendizagem significativa, al�m de despertar o interesse e a admira��o dos estudantes e do público como um todo para as ci�ncias. "

Este texto resume bem o ensino sobre astronomia atualmente.
Maria Helena Steffani (Planetário Prof. José Baptista Pereira, Porto Alegre)
Fernando Vieira (Fundação Planetário da Cidade do Rio de Janeiro)
http://site.mast.br/pdf_volume_2/planetarios.pdf
 

Ficou curioso? Aqui vão algumas dicas para que você e seu filho aproveitem ao máximo uma visita ao planetário:

1. Crie expectativa na criança

Ter curiosidade sobre o que se vai ver ajuda muito a prender a atenção da criança e é uma ferramenta importantíssima para o aprendizado. Pensar sobre o que se espera, se o céu no espaço é muito diferente do que vemos daqui, o que são constelações e porque a relação do homem com os astros é importante pode tornar a compreensão mais fácil e fazer surgir outras perguntas.

2. Ajude seu filho prestar atenção ao céu noturno

Pergunte a ele sobre o que vá. Consegue identificar alguma estrela ou planeta? O que imagina que existe lá? Será que o céu natural é muito diferente do que se vá num planetário? Fazer um exercício de criatividade também pode ser bastante divertido. Se fosse um astrônomo, que nome daria ás estrelas que consegue ver? Comparar este exercício de criatividade e imaginação com aquilo que será visto pode ajudar a criança a reter as informações mais facilmente.

3. Encontre a sessão que mais se adequa ao seu filho

Planetários normalmente têm sessões variadas e cada uma delas pode tratar de um tema específico. Pode haver muita diferença de foco e linguagem utilizada em cada apresentação, e é interessante checar o programa e procurar saber a que público cada sessão se destina. Quanto mais seu filho compreender o que é dito, mais poderá aproveitar a informação que está recebendo.

4. Encoraje seu filho a fazer perguntas após a sessão

E não tenha vergonha de colocar suas próprias dúvidas ou comentários também. Se desejar saber mais sobre algo que chamou sua atenção, sacie sua curiosidade. Pode ser uma ótima oportunidade para você e seu filho aprenderem mais sobre vários temas relacionados á Física, Matemática, Geografia e muitas outras áreas do conhecimento.

5. Estimule seu filho a conversar sobre o que viu

O que mais chamou a atenção da criança? Qual foi sua sensação ao ver a projeção? De que planeta ou estrela gostou mais? De quantos astros consegue recordar o nome? Fazer perguntas e deixar a criança á vontade para falar é uma boa forma de fixar o conhecimento e um estámulo para participar de outras atividades relacionadas ao tema.

6. Dedique tempo para levar seu filho ás exibições e outras atividades normalmente oferecidas pelos Planetários

http://www.planetario.projetorelogiosolar.com/cidadedacrianca.htm

http://planetarios.org.br/o-que-e-um-planetario/planetarios-por-estado/?SP

 É uma boa maneira de se familiarizar com o tema e contextualizar o que será ou o que foi visto na sessão. E é um tempo em que você e seu filho terão para fazer conexões com outras disciplinas, elaborar mais perguntas e dar mais sentido áquilo que a criança está aprendendo na escola - mas de uma forma muito mais lúdica e pessoal.

Colabore com o Projeto.

Click para saber mais!

Click AQUI!
Como coordenador do Planetário de São Bernardo Campo, pude perceber o quão importante é o conhecimento cientifico transmitido de forma didática a uma criança, porém, nem todas tem acesso a este tipo de tecnologia. Assim tomamos a iniciativa de colocar este projeto em prática, sabemos que o cidadão não pode viver esperando pelo poder público para que sua cidade tenha melhorias significativas na área educacional e desenvolvimento científico, entendemos que estas responsabilidades também pode partir dos cidadãos, empresários e instituições educacionais, colaborando com seus conhecimentos, doações, espaços ou custeando equipamentos fundamentais para o bom desenvolvimento do projeto junto às escolas do município. Tomamos o exemplo que veio do professor Dr. João Batista Garcia Canalle - Instituto de Física - UERJ, que através de uma "vaquinha" na internet adquiriu o planetário que é utilizado para a popularização da Astronomia e capacitação de professores, disponibilizando-o para atendimento dentro e fora da cidade do Rio de Janeiro.